FECOMERCIÁRIOS CNTC União Geral dos Trabalhadores
Central de Atendimento: 15. 3212-7110
22-Jul-2011 00:00 - Atualizado em 15/02/2017 11:51

A luta é de todos os trabalhadores

O movimento sindical já deu início às batalhas para pressionar o governo e o Congresso Nacional a aprovarem a pauta sindical e política elaborada pelas centrais sindicais na Conclat realizada no ano passado. Houve manifestações unitárias de massa dia 6, em Brasília.

Dia 21 próximo será nos Estados do Nordeste e dia 28 na Região Sul. A primeira parte das grandes manifestações será encerrada dia 3 de agosto, com passeata e ato de protesto marcados para a avenida Paulista na capital de São Paulo.

É importante que os dirigentes sindicais organizem e mobilizem os trabalhadores para deflagrar amplas manifestações de massa, pois a participação popular é que vai determinar o sucesso ou não da luta por mais direitos para os assalariados.

Lutamos e não podemos abrir mão da redução da jornada com a manutenção dos salários, revogação do fator previdenciário, nova legislação para o serviço terceirizado, redução dos juros, a ratificação da Convenção 158 e a regulamentação da Convenção 151, ambas da OIT, entre outras bandeiras.

O movimento sindical precisa centrar fogo na luta para ampliar no segundo semestre os aumentos reais de salários nas negociações coletivas e para se contrapor à falsa argumentação dos patrões de que ganhos reais provocam inflação.

O Dieese tem mostrado sistematicamente que isto não é verdade. Valorização do salário pode catapultar o crescimento econômico do país, ajudar na distribuição de renda e riqueza e aumentar o consumo da população.

Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, presidente da Força Sindical