FECOMERCIÁRIOS CNTC União Geral dos Trabalhadores
Central de Atendimento: 15. 3212-7110
07-Fev-2014 00:00 - Atualizado em 15/02/2017 11:55

Comunicado aos comerciários e comerciárias de Sorocaba a respeito da Convenção Coletiva/Negociação Salarial da categoria

,
Comerciários e Comerciárias a diretoria do Sindicato dos Empregados no Comércio de Sorocaba vem através deste comunicado esclarecer à categoria os motivos pelos quais a nova e tão esperada Convenção Coletiva, com data-base em 1º. de setembro, ainda não foi assinada.

Um dos pontos principais é a tentativa da Federação Patronal (Fecomércio) e dos Sindicatos Varejistas de flexibilizar o horário comercial da nossa base, bem como de todo o comércio do Estado de São Paulo. Se isso acontecer, o trabalhador não terá mais a certeza do horário de trabalho que cumprirá no seu dia a dia.

As entidades patronais ainda estão pressionando os sindicatos representantes dos trabalhadores a liberar o comércio para funcionar aos sábados até às 18 horas e os shoppings até às 24 horas. O líderes sindicais comerciários têm lutado constantemente junto aos órgãos que resguardam os direitos dos trabalhadores, como Ministério do Trabalho e Emprego e Ministério Público do Trabalho para preservar os direitos dos comerciários.

Entendemos que essa tentativa da Federação Patronal e do Sindicato Varejista é um fator preponderante para afastar o comerciário e a comerciária do convívio social, ou seja, da família, do estudo, das práticas religiosas, das atividades de lazer e cultura. Implantaria um verdadeiro regime de exploração da mão de obra comerciária.

A resistência do movimento sindical comerciário de todo estado de São Paulo, comandado pelo presidente Luiz Carlos Motta, da Fecomerciários, em aceitar as condições impostas pelo patronal tem provocado tensão no setor e oprimido os comerciários sem a assinatura da Convenção Coletiva.

É importante esclarecer que estivemos reunidos com o Sindicato Varejista de Sorocaba em mesa redonda na Regional Sorocaba do Ministério do Trabalho e Emprego diversas vezes, desde setembro do ano passado. Mas a intolerância do patronal tem prevalecido e não conseguimos chegar ao consenso.

Por meio da nova Convenção Coletiva buscamos a Participação nos Lucros e Resultados (PLR), Cesta Básica, Convênio, redução da carga horária semanal para 40 horas, preservação das mais de 70 cláusulas trabalhistas vigentes e ainda um reajuste digno e compatível aos índices alcançados pela maioria das categorias do Brasil, que poderá variar de 8,5% a 9% entre aumento real e correção do índice inflacionário.

Aproveitamos a oportunidade para tranquilizar os trabalhadores do comércio com a garantia de que ao fechar o Acordo Coletivo todas as diferenças salariais serão recebidas legalmente no holerite de pagamento, isso é lei.

Contamos com a compreensão de todos.

Sindicato dos Empregados no Comércio de Sorocaba

Sandra Navarro, assessoria de imprensa Sincomerciário