FECOMERCIÁRIOS CNTC União Geral dos Trabalhadores
Central de Atendimento: 15. 3212-7110
11-Mar-2021 15:12 - Atualizado em 12/03/2021 10:40
Fase mais restritiva

Governo de SP decreta fase emergencial e toque de recolher das 20h às 5h

comércio, sindicato, benefícios, Divulgação
fase roxaDivulgação

O governador do estado de São Paulo, João Doria, anunciou nesta quinta-feira (11) a fase emergencial para todas as áreas paulistas entre os dias 15 a 30 de março como forma de frear o avanço dos casos, internações e mortes causadas pela Covid-19.

Neste período serão aumentadas as restrições em 14 atividades da economia, com o objetivo de evitar a circulação de pelo menos 4 milhões de pessoas.

A restrição completa será aplicada às lojas de materiais de construção, celebrações religiosas, serviço de retirada em lojas e restaurantes e atividades esportivas coletivas.

O tele-trabalho passa a ser obrigatório para atividades administrativas não essenciais em órgãos públicos e escritórios e qualquer atividade desde que o setor não seja essencial.

O governo do estado também determinou que não está autorizada a entrega de alimentos e produtos ao cliente no estabelecimento comercial.

Os serviços de drive-thru estão permitidos das 5h às 20h e também está autorizado o delivery 24h para restaurantes e outros estabelecimentos comerciais.

Medidas anunciadas hoje pelo governo de SP
Também foi anunciado o toque de recolher das 20h às 5h, proibição do uso de praias e parques, proibição completa de qualquer aglomeração e a recomendação de usar máscaras mesmo em pequenos encontros familiares, dentro de casa.

Para a região Metropolitana de São Paulo, a recomendação é que as empresas adotem o escalonamento do horário de trabalho de acordo com cada setor para evitar a aglomeração no transporte público.

A proposta é que das 5h às 7h seja a entrada dos trabalhadores da indústria, das 7h às 9h seja feita a entrada dos trabalhadores de serviços e das 9h às 11h a entrada dos trabalhadores do comércio.

Já em relação aos serviços essenciais, como supermercados, farmácias, postos de combustíveis, padarias e serviços de saúde não há mudanças e poderão funcionar normalmente, mesmo os estabelecimentos que têm expediente 24h por dia.

Escolas

As escolas da rede estadual ficarão abertas apenas para o fornecimento de merenda para alunos mais carentes e no período da fase emergencial será antecipado os recessos de abril e outubro. Portanto, não haverá atividades obrigatórias (mesmo que à distância) entre os dias 15 e 28 de março.

Quanto às escolas particulares e às redes municipais que já retomaram as aulas, a orientação é que os alunos fiquem em casa e que os colégios também antecipem as férias do meio do ano para este período.

Números da pandemia no estado de SP

O secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, disse que esse é o momento mais difícil da pandemia que o estado de São Paulo enfrenta é a “maior crise sanitária de todos os tempos, nem a gripe espanhola assolou tantas vidas e por um período prolongado como a Covid”.

Ele citou que hoje há 53 municípios estão com 100% de taxa de ocupação e na segunda-feira (8) eram 32 cidades, o que mostra a velocidade da contaminação e dos casos graves.

O estado de São Paulo tem 87,6% de taxa de ocupação de UTI, com 9.184 internados nas Unidades de Terapia Intensiva (número 47% maior que na 1.ª onda), e 11.692 nas enfermarias. Há 2.164.066 de casos confirmados desde o começo da pandemia e 63.010 óbitos.

De acordo com os dados da Secretaria Estadual da Saúde são 20 dias consecutivos de recorde de pacientes internados nas UTIs Covid.

Além disso, hoje há 2.046 pacientes aguardando vagas no estado para serem hospitalizados, sendo que 35% deste número vão para a Unidade de Terapia Intensiva.

O secretário destacou ainda que 50% das pessoas internadas em UTI tem menos que 50 anos de idade, até com jovens nas faixas de 20 a 30 anos em estado grave, o que é um quadro bem diferente em relação ao pico da pandemia em 2020, quando os mais idosos estavam nas UTIs.

O titular da Saúde disse que aumentar ainda mais os leitos não resolve o problema crítico que o estado passa, por isso é necessário adotar a fase emergencial.

O coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, Paulo Menezes, disse que foi observado que a situação da pandemia continuou piorando mesmo após a adoção da fase vermelha, que começou no dia 6 de março.

Os médicos do comitê sugeriram as medidas para elevar o isolamento social para mais de 50% e espera-se que as regras tenham impacto na redução dos casos, mortes e internações em 15 dias.

Governo de SP