FECOMERCIÁRIOS CNTC União Geral dos Trabalhadores
Central de Atendimento: 15. 3212-7110
07-Jul-2017 14:55 - Atualizado em 10/07/2017 10:12

Unidos na resistência

,
Pela rejeição das reformas
Foram fortes as paralisações nacionais realizadas pelo movimento sindical dia 30 de junho contra as reformas trabalhista e previdenciária. A unidade entre as centrais sindicais prevaleceu exatamente no momento em que a reforma trabalhista avança no Senado Federal. Os atos também reafirmaram nosso repúdio ao desmonte do sindicalismo, igualmente proposto pelo governo nestas ofensivas antitrabalhistas jamais vista na história do Brasil.

O calendário de lutas cumprido pelo movimento sindical, como a Greve Geral de 28 de abril, o “Ocupa Brasília”, em 24 de maio, e as paralisações do dia 30 de junho têm, ainda, o mérito de esclarecer a sociedade sobre as maldades destas reformas para o trabalhador e suas famílias. Essas atividades têm contribuído, também, para intensificar nossa pressão junto aos parlamentares que apoiam esses projetos, num minucioso trabalho de conscientização sobre os males que causarão aos trabalhadores, se forem aprovados com os conteúdos em que foram encaminhados ao Congresso Nacional pelo governo.

Unidos na resistência, a Fecomerciários e a UGT/SP, com as demais entidades sindicais, seguirão em frente no embate pela manutenção de direitos trabalhistas, previdenciários e na defesa do combativo sindicalismo brasileiro.

Luiz Carlos Motta
Presidente da Fecomerciários